segunda-feira, 20 de setembro de 2010

. bluebird / pássaro azul


.

pássaro azul

[(Revista)Purr - No. 1 - 1975]

há um pássaro azul em meu coração que
deseja sair
mas sou muito durão para ele,
eu digo, fique aí, não vou
deixar ninguém te
ver.

há um pássaro azul em meu coração que
deseja sair
mas eu derramo whiskey nele e inalo
fumaça de cigarro
e as prostitutas, os bartenders
e os balconistas de mercado
nunca sabem que
ele está
lá dentro.

há um pássaro azul em meu coração que
deseja sair
mas sou muito durão para ele,
eu digo,
fique escondido, você quer me
atrapalhar?
quer estragar os
trabalhos?
quer arruinar minhas vendas de livros na
Europa?

há um pássaro azul em meu coração que
deseja sair
mas eu sou muito esperto, só o deixo sair
algumas vezes à noite
quando todos estão adormecidos.
eu digo, eu sei que você está aí,
então não fique
triste.

então o coloco de volta,
mas ele está cantando um pouco
lá dentro, eu ainda não o deixei
morrer
e nós dormimos juntos desse
jeito
com nosso
pacto secreto
e é belo o bastante para
fazer um homem
chorar, mas eu não
choro, e
você?

*O panfleto da foto acima foi publicado em Novembro de 1991 para os amigos da Black Sparrow Press no evento San Francisco Bay Area Book Festival (Festival do livro da baía de São Francisco)

.

Charles Bukowski recita "Bluebird":


.

Animação baseada no poema de Charles Bukowski:

9 comentários:

Tatiana Pinheiro. disse...

Esse poema me dá vontade de chorar! ;(

Rosa Santana disse...

Athos, há uma incoerência nas suas afirmações. Vc diz que Bukowsky é alemão, o que confere com a informação que tenho. Mas logo abaixo, na biografia vc diz que a obra do autor "foi altamente influenciada pela atmosfera de sua cidade natal, Los Angeles."

Veja bem, não vai aqui nenhuma crítica, apenas uma recomendação para que outros bêbados, que por aqui aportarem, não se sintam vendo duas coisas no mesmo lugar... Hehehehe!!

Rosa Santana disse...

E quero dizer mais: Gostei do poema "a morte está fumando meus charutos". Ele nos faz refletir sobre questões como: morte x transcendência;
arte x trabalho; alienação x consciência; fama x anonimato; a luta contra o inevitável...
Enfim, não achei nada de "escabroso" sempre tão atribuído ao escritor, tachado como "velho safado". Não aqui!

Rosa Santana disse...

E quero dizer mais: Gostei do poema "a morte está fumando meus charutos". Ele nos faz refletir sobre questões como: morte x transcendência; arte x trabalho; alienação x consciência; fama x anonimato; a luta contra o inevitável...

Enfim, não achei nada de "escabroso" sempre tão atribuído ao escritor, tachado como "velho safado". Não aqui!

Rosa Santana disse...

Parabéns pelo blog. Espero por mais poesias...

Athos Tazinaffo disse...

Muito bem observado Rosa, ele de fato é alemão, mas morou praticamente sua vida toda em Los Angeles.
A maior parte da mini biografia que postei no blog foi retirado do livro "Crônicas de um Amor Louco", que somadas às informações adicionais, gerou esta incoerência.
Bukowski era tão apaixonado por Los Angeles, que nem estranhei quando li ser sua cidade natal,hehe. Farei as devidas correções.

Que bom que você gostou do poema, estou selecionando os que como você disse: "nos faz refletir". Estou lendo sua biografia e te garanto que a fama de "safado" que recebeu não foi sem merecer.hehe

Agurde que postarei mais poemas. Faz uma semana que a fonte do meu notebook queimou, assim que eu resolver este problema voltarei a dar atenção ao blog

Abraços.

L. Fernando Rintrah disse...

Sem dúvida um dos melhores poemas este...
Que Biografia você está lendo Athos? Se for virtual me passa por favor.
Abraço.

Tatiana Pinheiro. disse...

De quem é o livro? DE QUEM??? HAHAHAHA

DA ÍRIS! (Que eu roubei há anos! rs)

Viu só, Íris faz coisas boas! ;)

;*

Quênia Lalita disse...

Ando com a ideia fixa de uma tatuagem baseada nesse poema dele.